segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Os robôs estão entre nós!

Muitos creem que a robotização é um caminho sem volta, pois os robôs já estão integrados ao nosso cotidiano.  Basta  ligar para uma rede de atendimento para sermos atendidos por um robô ou uma gravação feita por autômatos.  É o chatbots e segundo o diretor de novas tecnologias e inovação da Microsoft Brasil,  Richard Chaves, podemos não viver em um cenário como o filme Ela (no qual um homem se apaixona pelo sistema operacional de seu computador), mas  os robôs estão entre nós!"
Há muito tempo, esses organismo estão inseridos em nossa civilização. O primeiro chatbot (robô de conversação) foi um projeto chamado Eliza, do MIT, em 1966.” Eliza foi um dos primeiros exemplos de processamento de linguagem natural primitivo. Ela era operada por um processo de respostas dos usuários para scripts. “Eliza respondia perguntas abertas e não interpretava nada”, lembra o diretor. O que mudou de 1966 para cá, segundo Chaves, é a capacidade dos robôs de interpretar emoções humanas. “A linguagem pessoal não pode ser pré-programada, mas com o machine learning o robô vai aprender rapidamente em tempo real como melhorar isso."
Para o diretor, essa interação entre homem e máquina será feita por três atores: o ser humano, os robôs e as assistentes pessoais. “O indivíduo irá conversar com os robôs que, por sua vez, irão interagir com as assistentes pessoais para entregar serviços e produtos para o usuário".

Fonte: Exame.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Muito bem... quero saber sua opinião!!!

Related Posts with Thumbnails